Lidando com a dor do seu filho após o divórcio ou separação

Revisado em 12 de novembro de 2019

Fechar

Artigo por e-mail

Preencha o formulário para enviar o artigo por e-mail ...

Os campos obrigatórios são indicados por um asterisco (*) adjacente à etiqueta.

Separe vários destinatários com uma vírgula

Fechar

Inscreva-se para receber boletins informativos

Preencha este formulário para se inscrever em boletins informativos ...

Os campos obrigatórios são indicados por um asterisco (*) adjacente à etiqueta.

 

Resumo

  • Conheça e observe os sinais de perigo.
  • Ajude-o a expressar seus sentimentos.
  • Ouça.
  • Fornecer garantia. 

Um filho do divórcio sofre pelo pai que pode se tornar menos visível em sua vida. E pesquisas mostram que quase metade das crianças que perdem um dos pais até a morte mostram sinais profundos de luto um ano depois. Muitas das abordagens para lidar com o luto são as mesmas para filhos de divórcio ou separação. 

Durante os estágios iniciais da perda, com frequência, assegure a seu filho que você estará presente para ele.

Fique atento aos sinais de angústia

Quando as crianças lidam com a ausência de um dos pais, elas podem abrigar sentimentos de rejeição e abandono que podem durar a vida inteira se não forem reconhecidos cedo. Fique atento a estes sinais de angústia:

  • Os meninos tendem a ter dificuldade em se envolver em brincadeiras e fazer amizade com outras pessoas.
  • As meninas tendem a se tornar excessivamente tímidas e retraídas.
  • Tanto meninas quanto meninos podem sofrer academicamente.
  • Ambos tendem a se culpar pela ausência dos pais.

Ajudar uma criança em luto

Se seu filho está angustiado com a ausência dos pais, experimente estas dicas para ajudá-lo a lidar com a dor.

Permita que as emoções venham à tona

Quando um pai vai embora, a ruptura na vida de uma criança pode desencadear uma série de emoções - raiva, tristeza, ressentimento, impotência, medo, saudade e vazio. Crianças muito pequenas não conseguem identificar esses sentimentos, por isso é importante que os pais criem um ambiente onde eles possam vir à tona.

Não deixe sua culpa atrapalhar

Quando a vida de uma criança é interrompida, os pais podem sentir fortes sentimentos de culpa. Quando você se sente culpado, pode ser menos capaz de ajudar seu filho nos momentos difíceis. A culpa pode aumentar a tendência dos pais de negar qualquer impacto negativo sobre a criança. Tente superar seu próprio sentimento de culpa e ouça seu filho.

Escute com atenção

Valide os sentimentos de seu filho assegurando-lhe que você sabe que ele está passando por um momento difícil e entende sua tristeza ou raiva. Ouça os medos de abandono ou rejeição e assegure-a de que você não irá embora.

Remover culpa

As crianças precisam ouvir repetidamente que não são responsáveis ​​pela partida dos pais. A crença de seu filho de que ele causou a saída do outro genitor pode agravar sua dor. Forneça garantias, quer ele peça ou não.

Reforçar a auto-estima

A auto-estima de uma criança pode despencar quando a estrutura familiar é rompida. Ao questionar a confiabilidade de sua família, ela pode questionar seu próprio valor. Ajude seu filho reforçando sua auto-estima:

  • Trate seu filho com respeito e preocupação.
  • Use uma linguagem positiva, como “Ótimo trabalho”, “Estou orgulhoso de você” ou “Eu te amo”.
  • Peça a opinião de seu filho sobre as decisões familiares quando apropriado.
  • Forneça oportunidades para que seu filho experimente o sucesso.
  • Comemore as pequenas e grandes realizações de seu filho — aniversários, formar uma equipe, ir bem em uma prova ou participar de uma peça da escola.

Considere ingressar em um grupo de suporte

Muitos grupos de apoio para pais incluem crianças. Esses grupos podem permitir que seu filho se abra mais facilmente. Ligue para a associação local de saúde mental, o YMCA, o conselheiro escolar de seu filho, uma organização de serviço social ou um membro do clero. Verifique sites, jornais e quadros de avisos de bibliotecas para reuniões de grupo. 

Resumo

  • Conheça e observe os sinais de perigo.
  • Ajude-o a expressar seus sentimentos.
  • Ouça.
  • Fornecer garantia. 

Um filho do divórcio sofre pelo pai que pode se tornar menos visível em sua vida. E pesquisas mostram que quase metade das crianças que perdem um dos pais até a morte mostram sinais profundos de luto um ano depois. Muitas das abordagens para lidar com o luto são as mesmas para filhos de divórcio ou separação. 

Durante os estágios iniciais da perda, com frequência, assegure a seu filho que você estará presente para ele.

Fique atento aos sinais de angústia

Quando as crianças lidam com a ausência de um dos pais, elas podem abrigar sentimentos de rejeição e abandono que podem durar a vida inteira se não forem reconhecidos cedo. Fique atento a estes sinais de angústia:

  • Os meninos tendem a ter dificuldade em se envolver em brincadeiras e fazer amizade com outras pessoas.
  • As meninas tendem a se tornar excessivamente tímidas e retraídas.
  • Tanto meninas quanto meninos podem sofrer academicamente.
  • Ambos tendem a se culpar pela ausência dos pais.

Ajudar uma criança em luto

Se seu filho está angustiado com a ausência dos pais, experimente estas dicas para ajudá-lo a lidar com a dor.

Permita que as emoções venham à tona

Quando um pai vai embora, a ruptura na vida de uma criança pode desencadear uma série de emoções - raiva, tristeza, ressentimento, impotência, medo, saudade e vazio. Crianças muito pequenas não conseguem identificar esses sentimentos, por isso é importante que os pais criem um ambiente onde eles possam vir à tona.

Não deixe sua culpa atrapalhar

Quando a vida de uma criança é interrompida, os pais podem sentir fortes sentimentos de culpa. Quando você se sente culpado, pode ser menos capaz de ajudar seu filho nos momentos difíceis. A culpa pode aumentar a tendência dos pais de negar qualquer impacto negativo sobre a criança. Tente superar seu próprio sentimento de culpa e ouça seu filho.

Escute com atenção

Valide os sentimentos de seu filho assegurando-lhe que você sabe que ele está passando por um momento difícil e entende sua tristeza ou raiva. Ouça os medos de abandono ou rejeição e assegure-a de que você não irá embora.

Remover culpa

As crianças precisam ouvir repetidamente que não são responsáveis ​​pela partida dos pais. A crença de seu filho de que ele causou a saída do outro genitor pode agravar sua dor. Forneça garantias, quer ele peça ou não.

Reforçar a auto-estima

A auto-estima de uma criança pode despencar quando a estrutura familiar é rompida. Ao questionar a confiabilidade de sua família, ela pode questionar seu próprio valor. Ajude seu filho reforçando sua auto-estima:

  • Trate seu filho com respeito e preocupação.
  • Use uma linguagem positiva, como “Ótimo trabalho”, “Estou orgulhoso de você” ou “Eu te amo”.
  • Peça a opinião de seu filho sobre as decisões familiares quando apropriado.
  • Forneça oportunidades para que seu filho experimente o sucesso.
  • Comemore as pequenas e grandes realizações de seu filho — aniversários, formar uma equipe, ir bem em uma prova ou participar de uma peça da escola.

Considere ingressar em um grupo de suporte

Muitos grupos de apoio para pais incluem crianças. Esses grupos podem permitir que seu filho se abra mais facilmente. Ligue para a associação local de saúde mental, o YMCA, o conselheiro escolar de seu filho, uma organização de serviço social ou um membro do clero. Verifique sites, jornais e quadros de avisos de bibliotecas para reuniões de grupo. 

Resumo

  • Conheça e observe os sinais de perigo.
  • Ajude-o a expressar seus sentimentos.
  • Ouça.
  • Fornecer garantia. 

Um filho do divórcio sofre pelo pai que pode se tornar menos visível em sua vida. E pesquisas mostram que quase metade das crianças que perdem um dos pais até a morte mostram sinais profundos de luto um ano depois. Muitas das abordagens para lidar com o luto são as mesmas para filhos de divórcio ou separação. 

Durante os estágios iniciais da perda, com frequência, assegure a seu filho que você estará presente para ele.

Fique atento aos sinais de angústia

Quando as crianças lidam com a ausência de um dos pais, elas podem abrigar sentimentos de rejeição e abandono que podem durar a vida inteira se não forem reconhecidos cedo. Fique atento a estes sinais de angústia:

  • Os meninos tendem a ter dificuldade em se envolver em brincadeiras e fazer amizade com outras pessoas.
  • As meninas tendem a se tornar excessivamente tímidas e retraídas.
  • Tanto meninas quanto meninos podem sofrer academicamente.
  • Ambos tendem a se culpar pela ausência dos pais.

Ajudar uma criança em luto

Se seu filho está angustiado com a ausência dos pais, experimente estas dicas para ajudá-lo a lidar com a dor.

Permita que as emoções venham à tona

Quando um pai vai embora, a ruptura na vida de uma criança pode desencadear uma série de emoções - raiva, tristeza, ressentimento, impotência, medo, saudade e vazio. Crianças muito pequenas não conseguem identificar esses sentimentos, por isso é importante que os pais criem um ambiente onde eles possam vir à tona.

Não deixe sua culpa atrapalhar

Quando a vida de uma criança é interrompida, os pais podem sentir fortes sentimentos de culpa. Quando você se sente culpado, pode ser menos capaz de ajudar seu filho nos momentos difíceis. A culpa pode aumentar a tendência dos pais de negar qualquer impacto negativo sobre a criança. Tente superar seu próprio sentimento de culpa e ouça seu filho.

Escute com atenção

Valide os sentimentos de seu filho assegurando-lhe que você sabe que ele está passando por um momento difícil e entende sua tristeza ou raiva. Ouça os medos de abandono ou rejeição e assegure-a de que você não irá embora.

Remover culpa

As crianças precisam ouvir repetidamente que não são responsáveis ​​pela partida dos pais. A crença de seu filho de que ele causou a saída do outro genitor pode agravar sua dor. Forneça garantias, quer ele peça ou não.

Reforçar a auto-estima

A auto-estima de uma criança pode despencar quando a estrutura familiar é rompida. Ao questionar a confiabilidade de sua família, ela pode questionar seu próprio valor. Ajude seu filho reforçando sua auto-estima:

  • Trate seu filho com respeito e preocupação.
  • Use uma linguagem positiva, como “Ótimo trabalho”, “Estou orgulhoso de você” ou “Eu te amo”.
  • Peça a opinião de seu filho sobre as decisões familiares quando apropriado.
  • Forneça oportunidades para que seu filho experimente o sucesso.
  • Comemore as pequenas e grandes realizações de seu filho — aniversários, formar uma equipe, ir bem em uma prova ou participar de uma peça da escola.

Considere ingressar em um grupo de suporte

Muitos grupos de apoio para pais incluem crianças. Esses grupos podem permitir que seu filho se abra mais facilmente. Ligue para a associação local de saúde mental, o YMCA, o conselheiro escolar de seu filho, uma organização de serviço social ou um membro do clero. Verifique sites, jornais e quadros de avisos de bibliotecas para reuniões de grupo. 

Itens sugeridos

As informações fornecidas no Achieve Solutions site, incluindo, mas não se limitando a, artigos, avaliações e outras informações gerais, é apenas para fins informativos e não deve ser tratado como aconselhamento médico, de cuidados de saúde, psiquiátrico, psicológico ou de cuidados de saúde comportamental. Nada contido no Achieve Solutions O site deve ser usado para diagnóstico ou tratamento médico ou como um substituto para consulta com um profissional de saúde qualificado. Por favor, dirija perguntas sobre o funcionamento do Achieve Solutions site para Feedback da web. Se você tiver dúvidas sobre sua saúde, entre em contato com seu médico. ©Carelon Behavioral Health

 

Fechar

  • Ferramentas úteis

    Selecione uma ferramenta abaixo

© 2024 Beacon Health Options, Inc.